Eu sou o Gio

Giovani de Capri


Trabalho com desenvolvimento humano há 18 anos. Sou Terapeuta comportamental, Astrólogo, Especialista em Eneagrama, Terapeuta de Thetahealing, Terapeuta de Constelação Familiar, formado em Economia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, com MBA em Gestão de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, especialização em Liderança peça UCSD - University of California San Diego.

Sou estudioso de Numerologia, Cabala, Radiestesia e Teologia. Dedico 100% do meu tempo à minha missão, através das terapias, atendimentos e vivências humanas.

Faço atendimentos no Brasil e no exterior, tanto presencial quanto on-line e ministro Cursos de formação presencial em São Paulo, Curitiba e Ponta Grossa.


Um pouco da minha história

Nasci no dia 25/02/1975, pisciano com ascendente em leão e lua em virgem.

Meus amigos, padres, médiuns e familiares, sempre me disseram que eu tinha um brilho, uma luz especial.

Nunca fui tão vaidoso assim, mas essas palavras sempre alimentaram minha autoestima e minha alma, no sentido de ter vindo ao mundo para “fazer algo especial”.

Nunca exerci a mediunidade, mas ela já estava aqui, presente na minha vida e eu sequer sabia.

De família pobre, juntamente com meus irmãos e mãe (meus pais haviam se separado quando eu nasci), passamos muita dificuldade, inclusive fome.

Lembro certa vez que fui a aula na primeira séria sem ter almoçado, pois não havia comida.

Minha irmã Maira levou um pão com margarina pra eu comer na aula, antes do recreio (a escola era publica e sempre dava sopa no intervalo, aliás, deliciosa), eu deixei o pão embaixo da carteira (mesa escolar) e fui beliscando, comendo aos poucos o pão entre uma atividade e outra na sala.

Após comer a sopa no recreio, lembro de estar na fila para entrar na sala e acabei vomitando tudo.

Lembro também de anos mais tarde, em outra escola, ter recebido a visita dos irmãos Marista na escola e fiz uma pergunta a eles que os fizeram me convidar para ser seminarista, ou seja, Irmão Marista. Disse a eles “eu não quero ser padre” (risos).

Fiz ensino médio em Colégio Agrícola (período integral). Nessa fase da vida, ainda não estávamos bem financeiramente.

Minha mãe tinha crises nervosas, eu passava grandes sustos nessa época, pois tinha um medo absurdo de perdê-la.

Um dia, ela me explicou sobre a morte e o sentido da vida, lembro até hoje que chorei muito.

Minha grande oportunidade na vida veio com o serviço militar no exército. Fui selecionado para fazer o NPOR (Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva) no 13º BIB em Ponta Grossa PR.

Havia 20 alunos disputando 3 vagas para ser oficial naquela unidade e o salário de Tenente mudaria minha vida. Não pensei muito, apenas me dediquei e consegui uma das 3 vagas.

Isso realmente mudaria minha vida, pois me deu o grande salto da pobreza e depois disso, nunca mais passamos necessidades, me despedi de vez da fome (e que alegria).

Conquistei muitas coisas desde então, carros, casa, enfim, coisas que o dinheiro podia comprar.

Aos 27 anos entrei para a maior empresa de treinamentos empresariais do mundo, a Dale Carnegie Trainning e por lá fique 7 anos em paralelo às minhas atividades de vendedor de medicamentos, profissão que ingressei logo que saí do Exército aos 23 anos.

Aos 29 anos me casei, aos 33 fui pai do meu primeiro filho, Juan e então, somente então é que minha vida se transformou.

Meu filho Juan me fez entender meu pai, a separação dele da minha mãe, pois eu passava exatamente por um processo de separação 6 meses após ele nascer.

Quando eu estava com ele nos braços, pensava sobre meu Pai e me perguntava: como pode um pai abandonar seu filho pequenininho assim? Como pode deixar um anjinho assim para trás?

E então, fruto de crises no meu casamento, me separei, com o Juan aos 6 meses de idade.

Pude finalmente entender o que estava passando na cabeça de meu pai, pois me senti na pele dele. Essa foi minha cura para com o meu pai.

Quando do nascimento minha segunda filha Helena (eu havia retornado para casa 8 meses após a separação), novamente outra crise no relacionamento e aos 6 meses de idade da Helena, me vi numa situação que descrevo como sendo o pior momento da minha vida.

Nunca senti tanto ódio, raiva, desprezo, medo e desesperança tudo junto numa mesma fase da vida.

Meu casamente ficou por um fio, mas eu simplesmente só conseguia pensar nos meus filhos e no meu amor por eles, para não os deixar órfãos.

Na época, meus negócios estavam bombando. Eu tinha 4 empresas sendo elas 2 farmácias, 1 distribuidora de medicamentos e 1 concessão de treinamento da Fundação Napoleon Hill, empresa que atuei por 10 anos.

Eu faturava muito, dinheiro não era meu problema. Tinha cerca de 80 funcionários ao todo e pude exercer todo o meu conhecimento da minha formação em Economia, MBA em Gestão de Empresas pela FGV e Especialização em Liderança na Universidade da Califórnia, em San Diego EUA.

Mas eu estava tão desgostoso da vida que caí em depressão e não ia trabalhar, deixava as empresas sendo tocada pelos sócios e tentava me encontrar na vida.

Busquei na Igreja Evangélica e obtive algumas respostas. Busquei no Espiritismo Kardecista outras respostas e encontrei mais ainda.

Estava num ponto que ia na igreja toda terça e domingo e no centro espírita toda quinta.

O desespero era grande, mas com tudo isso, o despertar.

Isso era 2012/2013 e o despertar foi intenso, doloroso, inevitável, mas não forte o suficiente para eu me separar novamente ainda da primeira esposa.

Eu queria de todas as formas que meus filhos tivessem um pai presente, diferente do que havia acontecido comigo.

Como não cuidei das empresas, o óbvio aconteceu e os problemas começaram.

No auge da crise das empresas, já estava estudando constelação familiar, mas fui vendendo uma a uma as empresas para quitar as pendências (na época já estava com 5 empresas), mas não consegui saldar as dívidas.

Quando começaram a bater em minha porta oficiais de justiça para intimações e arrestos, meu casamento finalmente ruiu. Era minha noite escura da alma, explicada por Bert Hellinger nas Constelações Familiares.

Vendi o que pude das empresas, paguei o que deu.

A conta era simples, vendendo as empresas eu pagava as dívidas, mas não foi isso que aconteceu. Vendi e pior, não recebi. Ficaram as contas, os prejuízos, as perdas.

Nessa história toda, tentando me refazer de uma depressão, pensei em me atirar do 7º andar do apartamento que estava morando em Curitiba, cedido por minha cunhada Ana a qual tenho muita gratidão pela ajuda.

Quanto mais crises, mais busquei a espiritualidade Estudei Cabala, Astrologia, Numerologia, Radiestesia, Thetahealing, Fraternidade Branca, enfim, o que aparecia pela frente, quando conheci minha segunda esposa, Luziana, quem posso dar créditos de me colocado novamente na vida.

Mudei para Quatro Barras, criamos juntos o Recanto Saint Germain, um espaço de Curas em diversas terapias. Finalmente eu estava entrando na minha missão de vida.

Me desprendi totalmente do mundo material, deixei tudo que eu ainda tinha para trás juntamente com uma separação litigiosa e dolorida que ainda hoje não terminou.

Quando anunciamos a gravidez do Lucas, meus filhos Juan e Helena ficaram 5 longos e intermináveis meses sem querer me ver, sem se quer falar comigo ou responder as minhas mensagens de WhatsApp. Eu só pensava como eu devia ter sito horrível nas encarnações passadas, para estar merecendo tanto desprezo assim e tantas coisas dando errado em minha vida.

Briguei com Deus, com meus guias, com minha família, com todos.

Passei praticamente sozinho esses 5 meses, pois numa crise pessoal, até Luziana voltou morar em Curitiba, mas permanecemos juntos no relacionamento.

Eu só me perguntava: por que coisas ruins acontece com pessoas boas? Sou uma pessoa tão ruim para merecer tudo isso? Depois da primeira fase do processo de separação, finalmente me foi garantido ver meus filhos e então as coisas começaram a melhorar.

Parei com os treinamentos empresariais e me dediquei 100% do meu tempo para viver de terapias, de espiritualidade. Com a Constelação Familiar, ajudava as pessoas a se curar, acima de tudo, curava a mim mesmo.

Quando me aprofundei em Astrologia, parece que foi como uma porta no céu que se abriu para mim, entendi tudo, absolutamente tudo.

Meu carma, minhas dores, minha missão na vida, estava tudo lá na leitura do meu Mapa Astral.

Entendi que havia escolhido caminhos errados e que minha missão na vida era outra, é a de deixar este mundo um lugar melhor para se viver e é isso que tenho feito todos os dias.

Tenho utilizada todas as minhas dores, toda a minha história para ajudar como posso as pessoas.

Por isso, hoje digo apenas GRATIDÃO
Gratidão aos meus pais por minha vida.
Gratidão às minhas dores pelo meu despertar.
Gratidão à Deus e ao Universo pela oportunidade de estar nessa jornada e evoluir.
Gratidão a você que leu esse texto até aqui.
Eu vou fazer algo bom com minha história, vou ajudar o mundo a se tornar um lugar melhor para se viver.

Gio

Galeria de fotos

Confira as datas dos próximos workshops, vivências e grupos de Constelação Familiar e inscreva-se agora mesmo!

(41) 99266-5099

contato@giovanidecapri.com.br

Rua Coronel Wallace Scott Murray. 791A - Curitiba - PR
CEP 82640-170